A freguesia História
Menu Principal
Início
Notícias
Publicações
Foto-galeria
Informações e links
Contacte-nos
Documentos
A freguesia
Órgãos autárquicos
Serviços
Procedimento concursal
Secretaria Online Secretaria Online
Projetos financiados Projetos financiados
.
Passe Cidadão Passe Cidadão
.
Facebook Facebook
Pesquisa
História PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

A freguesia - História

A Freguesia de Caparica tem a sua origem numa bula de 20 de Novembro de 1472(*), do Papa Xisto IV, sendo assim a segunda freguesia mais antiga do Concelho de Almada. No entanto, a história da Caparica remonta a um passado mais longínquo. A Caparica teria, provavelmente, para os romanos, um valor semelhante a Alcochete, Montijo ou Sesimbra, porque estas terras eram atravessadas por uma via que, vinda de Mérida, passava por Murfacem e terminava em Porto Brandão, onde por barco se fazia a ligação a Lisboa. Estas terras têm sido ao longo dos tempos berço ou local de adopção de figuras ilustres, tais como o Conde de Arcos, Bulhão Pato ou os Távoras da Caparica, entre outros, que se tornaram, pela sua acção, personagens de grande importância local e nacional, ao longo dos séculos.

Caparica foi, até há relativamente pouco tempo, constituída essencialmente por terras de semeadura e habitada por uma população ligada ao campo e à lavoura. A evolução da freguesia tem acompanhado a do restante concelho, assistindo-se, a partir da segunda metade do Século XIX, a uma diminuição das áreas agrícolas e florestais nos últimos anos no nosso século. A Freguesia de Caparica, que, em 1950, possuía uma população maioritariamente constituída por operários, inicia pela década de 1960 uma mudança do tipo da população residente. Por esta altura, na Caparica, começam a fixar-se profissionais de serviços que, por motivos vários, não conseguem habitação em Almada.

A freguesia tem vindo a assistir nos últimos anos a um fenómeno de urbanização acelerada, através da ocupação de grandes áreas pela construção civil e grandes concentrações de populações, entre as quais se salientam a zona da Vila Nova de Caparica e os bairros sociais e os bairros das cooperativas de habitação. No entanto, em localidades que têm sido pouco afectadas pelo cimento, as relações de vizinhança e conhecimento pessoal mantêm-se quase inalteradas. Mas, na sua globalidade, a freguesia tem vindo a perder as suas características, ganhando algumas especificidades urbanas ao nível dos consumos, linguagem e comportamentos, nela convivendo diariamente uma população heterogénea, tanto nas suas origens nacionais e étnicas, como ao nível económico e sociocultural.

 

 (*) Por vezes, é referida a fundação da freguesia a 12 de Dezembro de 1472. Este equívoco dar-se-á pelo facto de, na leitura da bula original, se confundir a contagem dos dias no calendário juliano com a do calendário gregoriano. Diz o documento: «anno incarnationis dominicae millessimo quadringentessimo septuagésimo secundo, duodécimo kalendas Decembris». o que quer dizer a doze dias das Calendas de Dezembro, ou seja a 20 de Novembro.


Alguma bibliografia

  • VIEIRA Jr., Duarte Joaquim, Villa e Termo de Almada: Apontamentos Antigos e Modernos para a História do Concelho, Lisboa: Typographia Lucas, 1897.
  • FARIA, António Machado de, «Para a História de Caparica», in Boletim da Junta de Província da Estremadura, Série II, N.º 20, 1949, pp. 93-99.
  • ARCOS, Conde dos, Caparica Através dos Séculos, 2 vols., Almada, Câmara Municipal de Almada, 1972.

 

Share/Save/Bookmark
 

Joomla v1.5.26